About me.

Minha foto
Fortaleza, CE, Brazil
Pirulitos se tornam cigarros, inocentes viram vadias. dever de casa vai pro lixo. celulares conectados no twitter durante a aula. detenção se transforma em suspensão. refrigerante se torna vodka. bicicletas viram carros. beijos viram sexo. vocês se lembram de quando usar proteção era botar um capacete? de quando a pior coisa que você poderia levar de garotos eram cosquinhas? de quando os ombros do pai eram o lugar mais alto e inatingível e mamãe era nossa heroína? aliás, lembram-se de quando heroína era o feminino de herói? de quando seu pior inimigo era seu irmão? de quando war era só um jogo de cartas? de quando a única droga que você conhecia era remédio pra tosse? de quando remédio pra tosse era realmente usado pra curar tosse? de quando usar uma saia não te transformava numa vadia? e a maior dor que você sentia era quando ralava os seus joelhos e os "adeus" duravam somente até o amanhecer do outro dia. e nós não podíamos esperar por crescer?

domingo, julho 31, 2011

terça-feira, julho 26, 2011


Ta tudo escuro, não enxergo nada
Quanto mais eu te procuro eu não te vejo
O frio da noite, alta madrugada
Ando a cidade atrás de um desejo

Rodo becos, vielas, palácios, favelas tentando te encontrar
Fico alucinado, desesperado não sei aonde vou chegar
Nem a luz oscilante da lua minguante consegue iluminar

Eu me sinto enganado, sozinho, culpado por não conseguir te encontrar...

Hey, o amor esta em jogo
Alguém tem que ceder antes que seja tarde
Hey, então pare
De brincar com sentimentos antes que ele machuque você
Então vem me dizer o que é tão dificil
Vamos até o fim acabe logo com isso
O que você quer de mim
Também quero de você
Não demore por que

Hey, faz a sorte de novo
O amor tá em jogo
Pra eu te conquistar falta pouco
Não consigo esconder o desejo
Que vontade de te dar um beijo
O que você quer de mim eu quero de você
Vem pra cá ser feliz
I ai qual vai ser
Só não demora por que ...



Meu bem que hoje me pede pra apagar a luz
E pôs meu frágil coração na cruz
No teu penoso altar particular

Sei lá, a tua ausência me causou o caos
No breu de hoje eu sinto que
O tempo da cura tornou a tristeza normal

E então, tu tome tento com meu coração
Não deixe ele vir na solidão
Encabulado por voltar a sós

Depois, que o que é confuso te deixar sorrir
Tu me devolva o que tirou daqui
Que o meu peito se abre e desata os nós

Se enfim, você um dia resolver mudar
Tirar meu pobre coração do altar
Me devolver, como se deve ser

Ou então, dizer que dele resolveu cuidar
Tirar da cruz e o canonizar
Digo faço melhor do que lhe parecer

Teu cais deve ficar em algum lugar assim
Tão longe quanto eu possa ver de mim
Onde ancoraste teu veleiro em flor

Sem mais, a vida vai passando no vazio
Estou com tudo a flutuar no rio esperando a resposta ao que chamo de amor...

Maria Gadu - Altar Particular


Escolhas de uma vida

A certa altura do filme Crimes e Pecados, o personagem interpretado por Woody Allen diz: "Nós somos a soma das nossas decisões".

Essa frase acomodou-se na minha massa cinzenta e de lá nunca mais saiu. Compartilho do ceticismo de Allen: a gente é o que a gente escolhe ser, o destino pouco tem a ver com isso.

Desde pequenos aprendemos que, ao fazer uma opção,estamos descartando outra, e de opção em opção vamos tecendo essa teia que se convencionou chamar "minha vida".

Não é tarefa fácil. No momento em que se escolhe ser médico, se está abrindo mão de ser piloto de avião. Ao optar pela vida de atriz, será quase impossível conciliar com a arquitetura. No amor, a mesma coisa: namora-se um, outro, e mais outro, num excitante vaivém de romances. Até que chega um momento em que é preciso decidir entre passar o resto da vida sem compromisso formal com alguém, apenas vivenciando amores e deixando-os ir embora quando se findam, ou casar, e através do casamento fundar uma microempresa, com direito a casa própria, orçamento doméstico e responsabilidades.

As duas opções têm seus prós e contras: viver sem laços e viver com laços...

Escolha: beber até cair ou virar vegetariano e budista? Todas as alternativas são válidas, mas há um preço a pagar por elas.

Quem dera pudéssemos ser uma pessoa diferente a cada 6 meses, ser casados de segunda a sexta e solteiros nos finais de semana, ter filhos quando se está bem-disposto e não tê-los quando se está cansado. Por isso é tão importante o auto conhecimento. Por isso é necessário ler muito, ouvir os outros, estagiar em várias tribos, prestar atenção ao que acontece em volta e não cultivar preconceitos. Nossas escolhas não podem ser apenas intuitivas, elas têm que refletir o que a gente é. Lógico que se deve reavaliar decisões e trocar de caminho: Ninguém é o mesmo para sempre.

Mas que essas mudanças de rota venham para acrescentar, e não para anular a vivência do caminho anteriormente percorrido. A estrada é longa e o tempo é curto.Não deixe de fazer nada que queira, mas tenha responsabilidade e maturidade para arcar com as conseqüências destas ações.

Lembrem-se: suas escolhas têm 50% de chance de darem certo, mas também 50% de chance de darem errado. A escolha é sua...!

;)